Psicomotricidade

O que é a psicomotricidade?

  • A psicomotricidade é uma abordagem ao problema do desenvolvimento humano. É dirigida tanto a crianças como a adultos e idosos, procurando potenciar as suas capacidades de comunicar e interagir com o mundo exterior. Através da acção, da experimentação e da expressão corporal, a psicomotricidade estimula a afirmação da personalidade e a adaptação do indivíduo ao mundo que o rodeia.
  • A psicomotricidade tem uma visão holística do indivíduo. Ao considerar as suas vertentes física, emocional e cognitiva, permite trabalhar tanto os aspectos funcionais (e.g. vestir e despir, comer, ler, escrever, memorizar) como os relacionais (e.g. gerir as suas emoções, compreender as emoções do outro, falar, entender o contacto corporal).
  • A prática psicomotora pode aplicar-se com finalidade preventiva/educativa ou terapêutica. Ao nível preventivo/educativo, procura promover e estimular o desenvolvimento e a aprendizagem. A vertente terapêutica é dirigida a situações em que o desenvolvimento e/ou aprendizagem estão comprometidos, ou quando existem problemas psicoafectivos que dificultam a adaptabilidade do sujeito.

 

A quem se dirige?

A psicomotricidade dirige-se a todas as fases do desenvolvimento humano. Apesar de poder trazer mais-valias a qualquer indivíduo na sua acção educacional/preventiva, ao nível terapêutico é especificamente indicada a determinados grupos:

  • Bebés, crianças e jovens com problemas de desenvolvimento, de aprendizagem ou com deficiência;
  • Adultos com deficiência ou problemas de saúde mental;
  • Idosos com demências e como forma de prevenção dos sintomas característicos do envelhecimento.

 

Em que situações pode ajudar?

Existem diversos quadros clínicos em que esta prática pode contribuir para uma melhoria da qualidade de vida do indivíduo, podendo ser agrupadas 3 domínios:

  • Corporal – problemas de equilíbrio, perturbações do esquema corporal e da lateralidade, estruturação espácio-temporal, dificuldades na coordenação, na motricidade fina e global, entre outras
  • Relacional – dificuldades de comunicação e de contacto, inibição, problemas de comportamento, hiperactividade, agressividade, entre outras
  • Cognitiva – dificuldades na escrita, leitura e/ou cálculo, défices de atenção, de memória e de organização perceptiva, simbólica e/ou conceptual, défices cognitivos, entre outras.

 

Que tipo de técnicas utiliza?

A prática psicomotora caracteriza-se por uma grande riqueza de técnicas interventivas. Privilegia uma abordagem lúdica (sobretudo no trabalho com crianças) que favorece o seu envolvimento e motivação. Alguns exemplos de técnicas utilizadas são:

  • Actividades lúdicas
  • Técnicas de relaxação e de consciencialização corporal
  • Actividades expressivas
  • Actividade motora adaptada
  • Técnicas de educação gestual e postural